A Loira do Elevador

elevador

Esta “galega” medonha não aparecia nem nos banheiros dos colégios nem no cemitério. Mas gostava de passear pra cima e pra baixo entre os pavimentos de um antigo edifício. Dizem que um hotel à beira-mar na Praia de Boa Viagem, zona sul do Recife, era assombrado pela “Loira do Elevador”.

Falavam que, no turno da noite, todos evitavam pegar o elevador entre o primeiro e segundo andar, pois uma mulher loira, muito bonita, alta, de olhos claros e com um perfume muito bom, costumava aparecer para os menos avisados. Dizem que se tratava de uma aeromoça muito bonita, que sempre frequentava o hotel e que, estranhamente, tinha medo dos andares mais altos. Sendo assim, sempre solicitava quartos nos pavimentos mais baixos.Essa moça faleceu de forma repentina, em sua cidade natal. Mas, como gostava muito do Recife, voltou para “se hospedar” no hotel de sua preferência.

Dentre os relatos mais conhecidos sobre o fantasma, um se destaca: contava-se que um mensageiro novato, que não conhecia a história da loira, foi solicitado pela recepção para acompanhar um hóspede até o segundo andar, por volta das duas e meia da manhã. Ao pegar o elevador de volta para o térreo, antes mesmo da porta se abrir ele já sentiu um perfume feminino muito bom.

Quando a porta abriu, viu a bela mulher em sua frente. Ele entrou e desejou um bom dia. Ela respondeu que ainda era noite, e quando se virou para falar com o rapaz, ele viu que o outro lado do rosto dela estava seco, como o de uma caveira, com a carne ressecada, uma face horrenda… Ele só teve tempo de gritar antes de desmaiar!

O antigo hotel de luxo na orla de Boa Viagem já não existe mais. Porém, há que garanta que a loira ainda surge nos elevadores de outros hotéis da área… estará escolhendo um novo lugar para se hospedar?

Contado por Roberto Beltrão