Fogo no Mangue

Este caso aconteceu na Ilha de Deus, comunidade localizado na bairro da Imbiribeira, no Recife. Mais precisamente no manguezal protegido pela Marinha que existe no lugar.

Um conhecido meu, a quem todo mundo chama de  “Morcego”, foi ao mangue, como fazia todos os dias, pegar caranguejo. Dessa vez, ele passou mais de três horas lá e só conseguiu pegar apenas três deles. Morcego ficou enfurecido e começou a falar vários palavrões. E, do nada, apareceu outro catador de caranguejos que o avisou que é proibido falar palavrões no mangue.

Morcego nem se quer deu ouvidos e continuou andando pelo mangue. Foi quando de repente apareceu uma “mulher de vermelho”. De acordo com o meu amigo, “o vestido dela queimava igual a uma fogueira”. Quando ele a viu, começou a correr. E a tal mulher correu atrás dele. Quando o apanhou, deu-lhe uma grande surra que o fez perder os sentidos! Quando acordou, estava todo machucado.

Os familiares dele não acreditaram na história e foram ao mangue conferir quem tinha feito aquilo. Não viram nada, mas ouviram várias gargalhadas macabras que os fizeram correr dali na hora! Ninguém sabe ao certo quem – ou o quê – seria tal mulher. Mas os pescadores da vizinhança dizem que, de vez em quando, vêem chamas correndo no mangue. De acordo com eles, um calor enorme bate no corpo da pessoa que estiver por perto!

Contado pelo leitor que se assina apenas como Lindenberg

Categorias