Praga de Mãe

cabra

No bairro do Prado, no Recife, existia uma mulher que tinha uma filha de 15 anos. Um dia, a mãe da menina pediu que à filha fosse comprar jaca. Depois que a menina chegou com a jaca, a mãe disse:

– Filha, come um pedaço da jaca, mais deixa um pedaço pra mim também.

A menina comeu toda a jaca e só deixou o bagaço pra mãe comer. E ainda falou:

– Bita, Bita! (Antigamente “bita” queria dizer “cabra”)

A mãe ficou furiosa e rogou uma praga nela:

– Bita eu não sou; mais bita tu vai virar de meia-noite!

Dito e feito: a praga da mãe dela funcionou!

Meu avô – que hoje é falecido – ouviu a história e marcou com os amigos para tentar desencantar a menina. Certa vez, quando ela estava de transformando, o meu avô e os colegas enfiaram um espeto de ferro no tornozelo da menina! Ela foi desencantada e nunca mais quis saber da mãe. Dizem que ficou traumatizada e que se encontra internada numa clínica…

Contado por Vanessa Damasceno

  • Luziangela

    O que eu acho curioso nas histórias de assombração é que dificilmente a história é vivida pelo contador. Normalmente foi pelo amigo, pelo amigo do amigo, pelo avô falecido…

    • san

      Contei a minha ,vivida por mim. de comadre florzinha

  • Celso Moraes F

    E como convém nessas histórias que não podem deixar rastros (quem seguisse essas pistas poderia se dar muito mal, então é antes de mais nada uma medida de segurança 😉 ), até o que supostamente vivenciou a história está convenientemente morto. Adoro essas narrativas! E este site é fantástico (nos dois sentidos da palavra).