• João Natureza

    Olá galera eu sou João Natureza, Cantor e Compositor Pernambucano e venho agradecer pela oportunidade de compartilhar com vocês, o meu trabalho e um pouco da minha história.
    Gratidão é a palavra a toda galera do O Recife Assombrado.

    A música Sombrio tem uma história muito bacana por trás, pelos lados, em cima e em baixo dela.
    – Dormia eu no meu colchão no chão, na casa da minha mãe no bairro do Ipsep, no favoso conjunto Chico City, Recife – PE, por volta dos anos de 2011 ou 2012, não lembro ao certo, mas aconteceu, era umas 03:00 da manhã, eu tinha me apresentado em um barzinho, e muito cansado desabei.
    Como estava muto cansado, não relaxei de fato, e o sono leve me fez acordar com um barulho e arrastado de alguma coisa dentro do quarto, como eu estava dormindo no colchão chão, achei por alguns segundos que era algum papel sendo arrastado pelo vento do ventilador, mas não, foi ai que olhei pra cima, e com a vista meio embaçada, vi um braço que estava pra dentro do quarto, vindo da janela que dava pro corredor do prédio, era alguém tentando pegar meu notbook que ficava em cima de uma prancha a meia altura, servia como um birô de estudos, a ficha não caiu de cara, foi ai que percebi que não era pesadelo, era um “suposto” ladrão.
    Me levantei num pulo rápido e gritei, LADRÃO!!!, o “suposto” ladrão largou o pedaço de pau que estava nas mãos e correu, ele foi muito rápido.
    Não consegui ver quem era, corri pra fora do apartamento e não vi ninguém, claro 03:00 da manhã, quem estaria na rua, ou assombração ou um ladrão.

    Alguns anos depois,morando sozinho, me flagrei em um súbito retrô daquele acontecimento, eu estava na minha cama, e a luz que clareava o quarto, deixava sombras nas paredes do quarto, a porta meio aberta, me agoniava do escuro que vinha da sala, e ai imaginei: a cena de alguém ou algo dentro da sua casa de madrugada, você ser acordado por pegadas, arrastado de coisas no corredor, e ai a imaginação tomou conta.
    Então, peguei caneta e papel e comecei a escrever Sombrio, sem tocar um dedo no violão e apenas cm a luz que vinha de fora, e que atravessava a janela agressivamente, eu não queria perder aquela sensação de medo que me inspirava a cada frase.

    Essa e a história de Sombrio a música assombrada de João Natureza.

  • João Natureza

    Olá galera eu sou João Natureza, Cantor e Compositor Pernambucano e venho agradecer pela oportunidade de compartilhar com vocês, o meu trabalho e um pouco da minha história.
    Gratidão é a palavra a toda galera do O Recife Assombrado.
    A música Sombrio tem uma história muito bacana por trás, pelos lados, em cima e em baixo dela.
    – Dormia eu no meu colchão no chão, na casa da minha mãe no bairro do Ipsep, no favoso conjunto Chico City, Recife – PE, por volta dos anos de 2011 ou 2012, não lembro ao certo, mas aconteceu, era umas 03:00 da manhã, eu tinha me apresentado em um barzinho, e muito cansado desabei.
    Como estava muto cansado, não relaxei de fato, e o sono leve me fez acordar com um barulho e arrastado de alguma coisa dentro do quarto, como eu estava dormindo no colchão chão, achei por alguns segundos que era algum papel sendo arrastado pelo vento do ventilador, mas não, foi ai que olhei pra cima, e com a vista meio embaçada, vi um braço que estava pra dentro do quarto, vindo da janela que dava pro corredor do prédio, era alguém tentando pegar meu notbook que ficava em cima de uma prancha a meia altura, servia como um birô de estudos, a ficha não caiu de cara, foi ai que percebi que não era pesadelo, era um “suposto” ladrão.
    Me levantei num pulo rápido e gritei, LADRÃO!!!, o “suposto” ladrão largou o pedaço de pau que estava nas mãos e correu, ele foi muito rápido.
    Não consegui ver quem era, corri pra fora do apartamento e não vi ninguém, claro 03:00 da manhã, quem estaria na rua, ou assombração ou um ladrão.
    Alguns anos depois, precisamente em 2015 já morando sozinho, me flagrei em um súbito retrô daquele acontecimento, eu estava na minha cama, e a luz que clareava o quarto, deixava sombras nas paredes do quarto, a porta meio aberta, me agoniava do escuro que vinha da sala, e ai imaginei: a cena de alguém ou algo dentro da sua casa de madrugada, você ser acordado por pegadas, arrastado de coisas no corredor, e ai a imaginação tomou conta.
    Então, peguei caneta e papel e comecei a escrever Sombrio, sem tocar um dedo no violão e apenas com a luz que vinha de fora, e que atravessava a janela agressivamente, eu não queria perder aquela sensação de medo que me inspirava a cada frase.
    Essa e a história de Sombrio a música assombrada de João Natureza.